Material para Concurso de Sargentos

sexta-feira, 18 de março de 2011

Relatório da PM confirma situação denunciada pelo deputado Soldado Sampaio e pela APBM

 

Após a divulgação das informações colhidas através de um levantamento feito pelo deputado estadual Soldado Sampaio (PC do B) em conjunto com integrantes da APBM (Associação de Policiais Militares E Bombeiros do Estado de Roraima) no inicio da semana, um relatório feito pelo próprio Comando de Policiamento do Interior (CPI), confirma a situação apontada indicando precariedade nas estruturas, falta de efetivo e delegacias desativadas.

Soldado Sampaio com ABPM fazem levantamento sobre situação dos destacamentos no interior

Nos nas últimas três semanas a equipe do deputado estadual Soldado Sampaio (PC do B) em conjunto com integrantes da APBM (Associação de Policiais Militares E Bombeiros do Estado de Roraima) produziram um amplo relatório sobre a situação degradante em que se encontram os destacamentos da PM nos municípios do interior do estado.

As informações obtidas dão conta de que os policiais que trabalham nesses destacamentos são verdadeiros heróis por trabalharem sem as mínimas condições necessárias para desempenhar suas funções e ainda correm o risco de sofrer represálias pro parte da marginalidade.

“Há localidade em que o Policial Militar fica sozinho no destacamento, muitos são deslocados sem receber as diárias a quem têm direito, em alguns locais a viatura não funciona ou não há combustível e as instalações físicas são as mais precárias. Enfim uma demonstração de descaso com a segurança pública de um modo geral e com os próprios policiais militares. Queremos dar um basta nessa situação e por isso fizemos esse levantamento para exigirmos das autoridades constituídas soluções imediatas para os problemas”, destacou o deputado Soldado Sampaio em pronunciamento feito na Tribuna da ALE no início da semana.


Veja a Matéria publicada na Folha de Boa Vista


PM NO INTERIOR
Relatório aponta situação de destacamentos

 

Destacamento na Vila do Equador, em Rorainópolis, resume a situação dos demais prédios abandonados

Por: NAIRA SOUSA (FOLHABV)

Um relatório feito pelo Comando de Policiamento do Interior (CPI), com o objetivo de avaliar a situação dos destacamentos, pelotões e casas de apoio aos policiais, localizadas nos municípios, aponta a precariedade nas estruturas, falta de efetivo e delegacias desativadas. O assunto foi discutido pelos comandantes das companhias e da CPI, tenente-coronel Vasco Jones, em uma reunião realizada na manhã de ontem.
Segundo o levantamento, sete destacamentos estão sem condições de funcionar devido à falta de policiais. O previsto para atender as 39 unidades existentes em Roraima era de aproximadamente 528 policias militares, mas somente 204 atuam nos locais, um déficit de 324 homens.

No distrito de Entre-Rios, no Município de Caroebe, no sul do Estado, o previsto era que cinco homens formassem o efetivo, mas não tem nenhum policial. “O destacamento está em boas condições, falta somente uma manutenção da parte elétrica do prédio, além disso, a construção de uma casa de apoio”, relatou Vasco. 
A situação em Campos Novos, no Município de Iracema, é a mesma. Para garantir a segurança na região seriam necessários seis policiais militares, mas atualmente não existe policial no local. O prédio também precisa de pintura. Devido à área aberta, é necessário construir um muro. Para melhor comunicação, é necessário um fax e alojamento adequado.

Na região de Samaúma, Município de Mucajaí, somente um policial faz a guarnição na casa de apoio, pois não há destacamento. “Também não tem telefone e há somente um orelhão que não funciona”, afirma o relatório.
A falta de segurança também atinge os moradores de Santa Maria do Boiaçú, em Caracaraí, onde um policial faz o serviço no destacamento que não está em condições de uso. Em São Silvestre (Alto Alegre), dois PMs fazem a guarnição. Em Maracá (localizada entre os municípios de Alto Alegre e Amajari), um policial está em missão que tem durabilidade de 15 dias.

O relatório aponta ainda três destacamentos desativados no sul do Estado.  Um deles, na Vila Equador, no local será necessário construir um novo prédio, casas de apoio e instalação de linhas telefônicas e fax. O segundo prédio, em Novo Paraíso, também precisa de novas instalações, construção de casas de apoio e substituição da caixa d’água. O outro destacamento desativado está localizado em Jundiá, divisa com o Amazonas, em Rorainópolis. 

As outras unidades estão em funcionamento, mesmo com o efetivo baixo. A maioria das guarnições atende o chamado da população em orelhões que ficam próximos aos destacamentos. “Trabalhamos para que os policiais possam ter mais conforto, para assim executarem um trabalho de qualidade junto à comunidade”, frisou o comandante.

AÇÕES – Outro tema debatido na reunião foi sobre a área operacional e social. “Policiais militares, por meio do Comando de Policiamento do Interior [CPI], estão desenvolvendo diversos serviços nos municípios. Esta foi a melhor maneira que encontramos para atender a população”, esclareceu o comandante Vasco Jones.
Também foi discutida a situação do posto de combustível no Cantá, que estava servindo de ponto de encontro dos jovens, onde eram feitos rachas, disputa de som e venda de bebida alcoólica, conforme denunciou a Folha. Para isso, a equipe da CPI está fazendo o policiamento no local de quarta-feira a domingo. “Os resultados têm sido gratificantes, pois com a presença da polícia os jovens não procuram mais o local para ingerir bebida alcoólica”, frisou.

Pensado nos jovens, a CPI levou para a região do Taiano, em Alto Alegre, palestras com temas relacionados às drogas e educação no trânsito e ainda retirou crianças que estavam em festas no Município de Iracema. (N.S)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados neste blog deverão ser identificados, não sendo mais permitidos comentários anônimos. Para poder comentar você deve fazer parte deste blog clicando em "CADASTRE-SE NO BLOG - Fazer parte deste site".

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.