Material para Concurso de Sargentos

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Policiais pedem apoio de deputados para mudança na escala de serviço de patrulha

 

foto reunião escala
“Não tem ser humano que aguente tirar doze horas seguidos dentro de uma viatura…”

A escala imposta aos policiais militares que atuam no serviço de patrulha, o de rua nas viaturas, é questionada pela Associação dos Policiais e Bombeiros Militares do Estado (APBM/RR) que vem recebendo uma série de reclamações. O caso é registrado nas unidades do Comando de Policiamento da Capital (CPC).

A entidade de classe esteve reunida nesta terça-feira (15) com a Comissão de Administração, Segurança e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) para tratar da questão. Além do presidente da Comissão, deputado Jean Frank (PMN), estiveram presentes os deputados Soldado Sampaio (PC do B), vice-presidente; Coronel Chagas (PRTB) e Remídio Monai (PR), membros. O deputado Sargento Damosiel (PSD) também participou da reunião.

Segundo o coordenador da APBM/RR, sargento Jocenildo Rodrigues, a escala executada desde o mês passado no serviço de patrulha é de 12 horas de trabalho por 36 de folga. O maior problema é com relação a falta de rodízio. Quem fica de plantão a noite, por exemplo, após o dia de folga estará novamente trabalhando nesse mesmo período.

“Ao nosso entendimento essa escala é incompatível com o serviço de viatura. Infelizmente quem planeja a escala é quem geralmente não tira serviço nesse período. Quem não está sofrendo na pele às vezes não compreende isso. Se está cumprindo o estatuto, mas está havendo uma falta de bom senso. Não está sendo levado em conta o desgaste, o estresse que o serviço proporciona”, informou o sargento.

Para o deputado Soldado Sampaio a escala imposta é “desumana”. “Não tem ser humano que aguente tirar doze horas seguidos dentro de uma viatura fazendo policiamento e ter apenas uma noite de folga e na noite seguinte já está na viatura de novo. É preciso estabelecer uma escala em que o policial possa ter direito a lazer, cultura, a educação”, destacou.

O deputado Jean Frank disse que irá buscar um entendimento junto ao Comando da Polícia Militar e até junto ao governo estadual visando melhorias para os policiais. “Acredito que com conversa a gente consegue solucionar isso. A associação tem passado para gente que tem sido desumano trabalhar 12 horas e folgar 36. Nesse intervalo eles ainda têm às vezes academia, formatura ou até demora numa ocorrência de um flagrante e acabam trabalhando mais do que 12 horas”, disse.

Durante a reunião, ficou definido que o comandante da PM, coronel Gleysson Vitória, será oficiado pela Comissão de Administração, Segurança e Serviços Públicos para comparecer na próxima semana a ALE para que a situação seja discutida.



Fonte
: FolhaBV com adaptações

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados neste blog deverão ser identificados, não sendo mais permitidos comentários anônimos. Para poder comentar você deve fazer parte deste blog clicando em "CADASTRE-SE NO BLOG - Fazer parte deste site".

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.